english version
Recursos do Site
Menu Principal
Fim Menu Principal Rafina Blaze
Matriart News

Cadastre-se e receba em seu e-mail, todas as novidades da Matriart LG.

( fim de malabo news )

A saúde do seu Chihuahua

 

O chihuahua é uma das raças mais longevas. Eles têm poucos problemas de saúde, e é comum que um chihuahua viva mais de doze ou treze anos. Conheça todos os problemas de saúde da raça desde antes de ter um, e você e seu chihuahua terão uma vida longa e feliz juntos.

Hipoglicemia

Hipoglicemia é uma condição em que a quantidade de açúcar no sangue cai a um nível muito baixo, causando um “choque de açúcar”. Quando os níveis de glicose no sangue caem rapidamente, o corpo e o cérebro são privados de nutrientes essenciais. Os resultados são fraqueza e tremedeira. Isso normalmente acontece devido a stress, doenças, falta de comida, ou quando o chihuahua tem muito mais atividade do que deveria, ficando extenuado. Chihuahuas pequenos podem ser mais suscetíveis a esta condição devido aos seus sistemas digestivos pequenos.

Para evitar um nível baixo de açúcar, chihuahuas precisam de pequenas refeições em maior frequência, e bastante tempo de descanso. Outra alternativa é procurar a orientação do veterinário para indicação de vitaminas. Misturar iogurte de baunilha com a comida também é uma boa fonte de vitaminas.

Não há muitos sinais prévios antes de seu cão ter uma crise de hipoglicemia. No começo ele vai parecer cansado, fraco e dormente. Pode ser que ele caia, ficando inconsciente ou comece a tremer. Quando isso acontecer, passe Mel e karo – boas fontes de açúcar – na gengiva de seu cão. Aqueça-o em um cobertor ou com uma almofada térmica. Você deve perceber alguma melhora em 15 ou 30 minutos. Entretanto, é sempre recomendável que você leve o cão ao veterinário, pois pode ser que ele precisa de glicose IV.

A cada nova crise de hipoglicemia, fica mais difícil tirar o cão dela. É muito mais fácil prevenir a hipoglicemia com um suprimento rico de açúcar, refeições freqüentes e uma cama quentinha do que ter de tratá-la quando acontecer.

A hipoglicemia também pode ser hereditária, por isso certifique-se da linhagem do seu cão.

Para mais informações, cuidados e perguntas, contate seu veterinário.

Você sabia?

Alimentar o seu cão com marcas “mais caras” de comida para cachorro pode ser mais barato? É verdade! Seu cão terá mais nutrientes e vitaminas com menos comida e, por isso, comerá menos, fazendo um pacote de comida menor durar muito mais!

Hidrocefalia e a Moleira

Hidrocefalia e a moleira não são a mesma coisa e não deveriam ser confundidas. A moleira, ponto macio no topo da cabeça do chihuahua, é similar a de um bebê humano recém nascido. Esta é característica única aos chihuahuas. A hidrocefalia é o acúmulo de excesso de fluido cérebro-espinhal no cérebro e não é nem um pouco normal, nem curável. Também é chamada de “água no cérebro”.

Quando o fluido se acumula no cérebro, ele o comprime contra o crânio. Um filhote de chihuahua pode nascer com esse problema, ou ele pode ser causado por uma infecção no cérebro.

Cheque a moleira, certificando-se de que ela não é maior do que a ponta do seu dedo mindinho, e que não há nenhum inchaço, protuberância ou pulsação, embora cães com uma moleira normal ainda assim possam ter hidrocefalia. Cheque com cuidado os lados da cabeça, tateando os ossos. Certifique-se de que só há uma moleira, porque mais de uma não é normal. Outros sinais incluem olhos muito largos, cegueira, comportamento aberrante, andar em círculos, lerdeza (física e mental), tremedeira, falta de coordenação e demora nos filhotes a crescer. Esses sinais podem ir e vir ou se agravar com o tempo. Qualquer problema deve ser examinado por um veterinário licenciado.

O diagnóstico é baseado nesses sinais em conjunto com técnicas de imageamento do cérebro. Em cães com fontanel (a moleira), pode ser feito um ultra-som através da fontanel para detectar o acúmulo excessivo de fluido na região do cérebro. Infelizmente, hidrocefalia não tem cura. Casos não muito graves podem ser tratados com esteróides para reduzir a pressão ou com desvios para levar o fluido do cérebro para o abdômen. Casos graves em filhotes normalmente levam à morte antes dos 4 meses de idade.

Para mais informações, cuidados e perguntas, contate seu veterinário.

Luxação da Patela

A luxação da patela, ou deslocamento do joelho é um problema hereditário comum nos chihuahuas. E infelizmente, só costuma aparecer quando o animal fica mais velho. Ela aparece em graus variados, do mínimo ao debilitante. Cães muito jovens podem compensar, mas pode ser que isso só faça o deslocamento acontecer na outra perna.

O deslocamento normalmente fica do lado interno, onde os ligamentos ficam esticados cada vez que acontece até que a patela apenas raramente fique onde deveria estar. Quando o cão fica em pé com um deslocamento na patela, acontece uma pressão nos tornozelos traseiros que, se severa, causará dor extrema.

Estudos recentes demonstraram que tratamento imediato é recomendado, ao invés de a espera até que o deslocamento tenha praticamente aleijado o cão. A razão disso é que enquanto o joelho está deslocado, todo o corpo do cão vai tentar compensar, causando deformidades em muitas outras partes do seu esqueleto.

Existem muitas outras informações disponíveis sobre Luxação da Patela no livro “The Complete Chihuahua Encyclopedia” (A Enciclopédia Completa do Chihuahua), de Hilary Harmar.

Para mais informações, cuidados e perguntas, contate seu veterinário.

Colapso da Traquéia

A traquéia é a passagem de ar que conecta a laringe aos brônquios nos pulmões. Ela consiste de anéis cartilaginosos em forma de “C” e tecidos flexíveis, cobertos por um tecido especializado. Esse tecido tem células com pequenas projeções de pêlos (cílios). A função primária desses cílios é remover muco e partículas ou bactérias inaladas. Entre o movimento dos cílios recolhendo detritos e a tosse reflexa, a traquéia serve como um filtro para que os detritos não atinjam aos pulmões.

O colapso da traquéia acontece quando a parte dura da traquéia fica enfraquecida. Essa área enfraquecida cai devido à pressão interna e/ou externa durante uma atividade qualquer do cão, interferindo assim com a respiração normal. A área enfraquecida fica irritada. Uma vez que a tosse e o esforço respiratório podem causar ainda mais irritação, os sintomas podem piorar, e a condição pode se auto-perpetuar. O colapso da traquéia pode ocorrer sozinho ou junto de outras desordens respiratórias (normalmente bronquite crônica).

Uma tosse rouca (não confundir com “espirro reverso”) pode ser um indício dessa condição. Em alguns casos a tosse pode se tornar tão severa que o animal se comporta como se tivesse alguma coisa presa na garganta. Outros indícios dessa desordem incluem dificuldades para respirar, facilidade para se cansar, e intolerância a exercícios.

Casos mais leves normalmente respondem bem a remédios para evitar a tosse, manter o cão em seu peso ideal e redução de stress. Cães tratados dessa maneira podem viver mais e com mais saúde. Em casos mais avançados, uma correção cirúrgica pode ser necessária, embora os resultados não sejam garantidos. Em casos de mais de uma desordem, um tratamento das múltiplas desordens pode ser necessário antes do tratamento do colapso da traquéia.

A melhor maneira de prevenir um colapso da traquéia é SEMPRE usar o peitoral em seu cãozinho pequeno e nunca fazer muita pressão em sua garganta ao puxar a coleira.

Para mais informações, cuidados e perguntas, contate seu veterinário.

Espirro Reverso

Espirros, resfolegação, zunido e dificuldade para respirar não são, necessariamente, sintomas de um colapso de traquéia. Puxar pela guia (que deve sempre ser presa a um peitoral), beber muito rápido ou excesso de excitação do seu cão podem causar espirro reverso. Ele é normalmente causado por uma doença que pode ter acometido um palato mole mais alongado. É um traço comum em raças toy.

Embora possa parecer assustador, o espirro reverso dura apenas alguns poucos minutos ou segundos, e pode passar com um pouco de massagem no pescoço e na garganta do cão, ou por fazer o cão engolir. Outras maneiras de diminuir o espirro reverso é bater palmas, distrair o cão ou tapar o focinho do cão com seus dedos, forçando-o a respirar pela boca e engolir.

Para mais informações, cuidados e perguntas, contate seu veterinário.

Glândulas Anais

As glândulas anais do seu chihuahua ficam na musculatura do anel anal, uma de cada lado. Ambas se esvaziam no reto via um pequeno duto. Algumas vezes, a secreção se torna muito grossa, se acumulando, e você pode sentir facilmente a protuberância no lado de fora.

Se o seu chihuahua estiver arrastando o traseiro no chão ou lambendo-o, as glândulas anais podem estar precisando ser esvaziadas.

Apertando para dentro e para fora na direção do ânus enquanto segurando a cauda é a melhor maneira de esvaziá-las. O seu veterinário pode mostrá-lo como fazer isso.

Para mais informações, cuidados e perguntas, contate seu veterinário.